Irecê Líder: Rei das regravações, Silvanno Salles promete músicas inéditas em seu retorno aos palcos /* CONFIGURAÇÃO CORPO DE POSTAGENS */ /* FIM DA CONFIGURAÇÃO CORPO DE POSTAGENS */ -->
ao vivo

SLIDER

IRECÊ LÍDER AO VIVO

Esconder Vídeo
Abrir Vídeo
Clique aqui para enviar seu recado.
NO AR
PROGRAMAÇÃO LÍDER
LOCUTOR
(x) Fechar
Compartilhe a Líder
Facebook
Whatsapp
Telegram
Participe! Mande seu recado para o nosso Whatsapp!

sábado, 14 de agosto de 2021

Rei das regravações, Silvanno Salles promete músicas inéditas em seu retorno aos palcos

O ditado que corre em Salvador e Região Metropolitana de "buzu" é que o sucesso só chega para uma canção depois que ela ganha uma regravação na voz de Silvanno Salles. De Roberto Carlos a Pixote, o simõesfilhense já gravou de tudo um pouco e promete não decepcionar os fãs do Cantor Apaixonado em seu retorno aos palcos.
Além das novas versões dos maiores hits da música, Salles garante que virá com canções inéditas. "Eu já estou sentando com alguns compositores aqui de Salvador, inclusive tem o compositor Kardec, responsável por 'Minha Doblô' e 'Despedida de Solteiro', músicas que me revelaram, que já está selecionando algumas músicas", disse em entrevista ao site Bahia Notícias.
Conhecido por suas versões que chegavam a tocar com mais frequência nas esquinas da capital, Silvanno brinca com o título do "Rei das Regravações". Para o artista, em time que tá vencendo não se mexe, e por um pedido dos fãs ele continua a investir nas regravações. "Eu fico muito feliz pelo carinho do povo e tenho um respeito muito grande também por esses artistas.
Eu não posso gravar um CD sem uma regravação, os fãs esperam. Já virou minha marca, o pessoal pede nas redes sociais. Eu sou muito tranquilo com o título, porque na verdade, em time que está dando certo, não se mexe".

Por alguns nano segundos o público chegou a cogitar que Silvanno não voltaria aos palcos. Isso porque o artista decidiu investir em um empreendimento em Salvador para não entrar em uma das estatísticas da pandemia, a do desemprego.
Em julho, o cantor abriu um Boteco no bairro do Cabula em parceria com a família, e deu um jeito de conciliar a carreira artística com os negócios.
"O Boteco veio como uma alternativa. Estava na pandemia, parado sem fazer nada. Meu irmão desempregado, minha cunhada desempregada, e aí foi quando veio a ideia de abrir o Boteco, de unir o útil ao agradável. É uma oportunidade de fazer uma graninha extra e ajudar a minha família. Estamos gerando uma renda e gerando emprego".
No espaço, Silvanno conta com a ajuda de outras duas funcionárias além da família e levou a música para dentro do espaço, promovendo a 'Quinta Prime do Arrocha', evento acústico que apresenta novos nomes do gênero para o público do Boteco.
"Alguns artistas já estavam me procurando porque já tinha acontecido apresentações de samba e MPB. Não só artistas, como o público também queria um dia só do arrocha, então escolhemos a quinta-feira para fazer esse encontro".
Quanto ao retorno de forma oficial aos palcos, Silvanno garante que já tem data para acontecer, mas não vai ser ainda em Salvador. Vacinado contra a Covid-19, o baiano contou que começou a ser procurado por empresários de outros estados e tem data agendada para São Paulo em novembro.
"Jamais sairia da música, é a minha grande inspiração. Estou contando os dias para voltar aos palcos. Graças a Deus já estamos recebendo algumas ligações de produtores no Brasil. Já temos alguns shows, algumas negociações. Já confirmou em novembro, São Paulo, e em outubro estamos em negociação para o Maranhão".
Para o artista, a procura de outros estados fora do eixo Norte/Nordeste é uma prova do crescimento do arrocha no país. Integrante da velha guarda do gênero, que nasceu na Bahia, mais especificamente em Candeias, Silvanno falou ao BN sobre a nova geração do arrocha e a mistura do ritmo com o sertanejo e desmentiu qualquer tipo de rixa entre os movimentos.
"O Arrocha começou aqui na Bahia, mas hoje ele é conhecido em vários estados. Eu mesmo faço shows em São Paulo, não só capital, como interior do estado também, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Tocantins, Maranhão, Ceará. A galera do sertanejo abraçou a causa do arrocha, vários cantores do forró também. Quando eu vejo essa mistura eu fico mais feliz ainda, porque é sinal de que a gente está conseguindo destaque e espaço".
Fonte: B.N.Holofote

Mais Notícias