Irecê Líder: Os encontros entre Margareth Menezes e Carlinhos Brown em New York /* CONFIGURAÇÃO CORPO DE POSTAGENS */ /* FIM DA CONFIGURAÇÃO CORPO DE POSTAGENS */ -->
ao vivo

SLIDER

IRECÊ LÍDER AO VIVO

Esconder Vídeo
Abrir Vídeo
Clique aqui para enviar seu recado.
NO AR
PROGRAMAÇÃO LÍDER
LOCUTOR
(x) Fechar
Compartilhe a Líder
Facebook
Whatsapp
Telegram
Participe! Mande seu recado para o nosso Whatsapp!

sábado, 12 de junho de 2021

Os encontros entre Margareth Menezes e Carlinhos Brown em New York

“Sou faraó...
O rei da folia
Sou faraó...
E o Egito é a Bahia”
Esse trecho da letra da música Faraó, de Carlinhos Brown, poderia ser substituído por New York é a Bahia. Isso porque, o início do mês de setembro de 2010 em New York foi bem movimentado para a música e a cultura baianas. No espaço de uma semana, três grandes acontecimentos movimentaram a Big Apple: Lavagem de New York, Brazilian Day e a Exposição Bembé de Santo Amaro.
Todos com participação de artistas da Bahia. A começar pela Lavagem organizada pela baiana Silvana Magda, que mora há mais de 35 anos nos Estados Unidos. Dessa vez, ela convidou Margareth Menezes para ser a atração do evento que aconteceu num sábado (4), um dia antes do Brazilian Day (5).
Durante quase duas horas de desfile, a Lavagem da Rua 46 em New York chegou ao fim com a cantora Margareth Menezes cantando Dandalunda (Carlinhos Brown). Ela foi acompanhada por uma multidão que saiu da 44 com destino à 46. Acompanhada dos cantores David Menezes e Luanda Lynch, Margareth cantou seus principais sucessos e reviveu em solo americano a nossa tradicional Lavagem do Bonfim. No dia seguinte, Margareth foi convidada pela direção do Brazilian Day para cantar o hino nacional brasileiro com Brown, na abertura do evento - que segundo a produção foi acompanhado por cerca de 1,5 milhão de pessoas na Sexta Avenida. DJ Malboro abriu o evento, que teve Luciano Huck como apresentador e contou com as apresentações de Zezé Di Camargo & Luciano e Carlinhos Brown como principais atrações. A apresentadora Ana Maria Braga também esteve no palco do Brazilian Day para receber uma homenagem da comunidade brasileira.
O cacique, como sempre, levantou a multidão cantando seus grandes sucessos e fez um outro numero com Margareth cantando Faraó, Já Sei Namorar e um trecho de A Namorada. Empolgou os brasileiros que marcaram presença na tradicional festa organizada pelo empresário João de Mattos e a Globo Internacional. Margareth Menezes ao lado de Luanda Lynch na Lavagem de New York (Foto Edgar de Souza) Em conversa com o Baú do Marrom, Margareth lembrou dessa passagem pela cidade que nunca dorme. “Fui convidada pela Rede Globo para cantar o hino e, em certo momento, ele me chamou para cantarmos juntos o hino. Foi um momento bem especial.
Também eu estava lá em New York fazendo shows, inclusive participei da Lavagem e também recebi da LBV (Legião da Boa Vontade) um reconhecimento pelo meu trabalho social. Foram dias bem especiais que eu passei lá. Foi muito interessante, muito especial”. O terceiro evento que aconteceu na cidade também teve a assinatura de Silvana Magda. Só que começou no final do mês de agosto. Foi a Brazil Week/Lavagem Expo 2010 Exposição Bembé do Mercado com o fotógrafo Edgar de Souza, que fez questão de estar presente durante esse período. E ainda teve a visita especial de Brown, que fez questão de ir prestigiar o evento. Cartaz da Exposição do Bembé de Santo Amaro em New York A festa Bembé do Mercado, que celebra anualmente, em Santo Amaro (BA), a abolição da escravatura no Brasil, foi o tema da exposição fotográfica na galeria Chashama em New York do dia 30/08 /2010 a 06/09/2010 localizada na 112 W, 44th Street (entre 6th Ave and Broadway).
Essa é uma festa tradicional do candomblé que surgiu em 1889. Segundo Edgar, a mostra de imagens tem o objetivo de mostrar a integração de povos no Brasil, principalmente na Bahia. "A diversidade cultural do africano e também dos portugueses, se faz mais aparente em terras baianas".
 A exposição foi uma produção de Silvana Magda e contou com o apoio do Jornal The Brasilians, da Fundação Palmares e Galeria Chashama. Um ano antes, em 2009, o Bembé do Mercado celebrou os 121 anos da abolição da escravatura no Brasil.
O evento sempre acontece em meio a atividades culturais, principalmente por ritos religiosos como o candomblé e apresentações musicais. Esta exposição antes de chegar a New York esteve em Paris e Angola. Margareth Menezes, Silvana Magda, Luanda Lynch e representantes da Legião da Boa Vontade (Foto Edgaar de Souza)

Quem também conversou com o Baú direto de New York foi Silvana Magda: “São 37 anos de América, acompanhei de perto a trajetória da comunidade brasileira como um todo, principalmente a artística. Em tudo que fiz profissionalmente neste país, a Lavagem é a mais importante delas, e tem uma força comunitária muito grande. A
 Lavagem quebra 'padrões' e concede a todos independentemente de cor, religião e sexo e nacionalidade, o direito de se expressar e transformar. Usei o conceito e moldes da Lavagem do Senhor do Bonfim como base, na força espiritual e aglomeração de pessoas, a variedade de crenças e costumes, e isto é o que me fascina.
Hoje na América do norte, a Lavagem realizada durante nove anos entrou para a história como o primeiro desfile cultural brasileiro onde se preserva a tradição secular e se inova valores no XXI". E mais continuou Silvana: “A Margareth Menezes é um presente, tenho a sua história da terra do Tio Sam, foi a primeira artista brasileira a ficar no top do Billboard com Elejibó. O Brasil sofre de amnésia e nem sempre lembra daqueles que já fizeram História, de fato, realmente comprovada."
Fonte: O Correio

Mais Notícias