Irecê Líder: Na TV, Thiaguinho diz que 'enxerga' em Ludmilla a renovação do pagode; assista /* CONFIGURAÇÃO CORPO DE POSTAGENS */ /* FIM DA CONFIGURAÇÃO CORPO DE POSTAGENS */ -->
ao vivo

SLIDER

IRECÊ LÍDER AO VIVO

Esconder Vídeo
Abrir Vídeo
Clique aqui para enviar seu recado.
NO AR
PROGRAMAÇÃO LÍDER
LOCUTOR
(x) Fechar
Compartilhe a Líder
Facebook
Whatsapp
Telegram
Participe! Mande seu recado para o nosso Whatsapp!

sexta-feira, 14 de maio de 2021

Na TV, Thiaguinho diz que 'enxerga' em Ludmilla a renovação do pagode; assista

Os cantores Thiaguinho e Ludmilla foram os convidados do Conversa com Bial, da madrugada desta quinta-feira (14) e, após serem apresentados como "veterano" e "novata" do pagode brasileiro, o ex-marido de Fernanda Souza disse que "enxerga sim a funkeira como a renovação do ritmo musical".
 A entrada da mulher de Brunna Gonçalves no ritmo aconteceu após uma promessa aos fãs. Ela acordou que caso ganhasse o troféu de Melhor Cantora do Prêmio Multishow, em outubro de 2019, faria um EP de pagode. "É muito interessante ver a chegada da Lud no pagode. Eu, enquanto 'veterano' - ainda estou me acostumando com essa ideia - [vejo isso], mas é gostoso para caramba, pois quando cheguei no samba, que tem essa tradição da renovação, mas de cultivar e honrar... esse gênero tem uma história gigantesca no nosso país, não é só uma música, é a história do país.
O samba sempre recebe com muito carinho as pessoas que chegam e eu vejo isso na Lud hoje com ótimos olhos. Primeiro, porque tem propriedade para cantar, pois, além de chegar com a voz, chega com o instrumental e coração, que é muito importante. A galera do pagode aceitou de braços abertos porque a gente já sabia que ela era pagodeira", explicou.

Em outro momento, os dois falaram sobre racismo. Ludmilla desabafou sobre o processo que perdeu contra a empresária Val Marchiori, que ofendeu a cantora com comentários sobre seu cabelo no carnaval de 2016. “Isso me doeu muito, porque a cada passo que a gente dá para frente contra o racismo, a gente dá trinta para trás.
E isso perante o Brasil inteiro foi horrível". Thiaguinho comentou que o debate social sobre o racismo deve ser naturalizado. “Existe um bloqueio da gente falar sobre isso. Ser preto no Brasil, você lembra disso desde a hora que você acorda até a hora em que você vai dormir”, analisou.
Fonte: B. N. Holofote

Mais Notícias