Irecê Líder: Preço do gás preocupa consumidores ” daqui a pouco tá r$ 100″ /* CONFIGURAÇÃO CORPO DE POSTAGENS */ /* FIM DA CONFIGURAÇÃO CORPO DE POSTAGENS */ -->
ao vivo

SLIDER

IRECÊ LÍDER AO VIVO

Esconder Vídeo
Abrir Vídeo
Clique aqui para enviar seu recado.
NO AR
PROGRAMAÇÃO LÍDER
LOCUTOR
(x) Fechar
Compartilhe a Líder
Facebook
Whatsapp
Telegram
Participe! Mande seu recado para o nosso Whatsapp!

sábado, 7 de novembro de 2020

Preço do gás preocupa consumidores ” daqui a pouco tá r$ 100″




A Petrobras confirmou o aumento de 5% no valor do gás de cozinha, que já foi repassado para os revendedores nesta semana. Em Apucarana, Raphael Souza do Vale Santos que trabalha no ramo há mais de 10 anos, vê essa alta como uma grande crise.
Conforme o revendedor de gás, somente neste ano já foram 10 aumentos em apenas cinco meses. “Desses aumentos todos que sofremos, repassamos para o consumidor apenas cinco, seis aumentos, mas agora vai ficar impossível de segurar, vamos ter que aumentar também”, disse.
O gás de cozinha, há cinco meses custava em média R$70, agora está em torno dos R$ 75 e o consumidor deve se preparar que a partir de segunda o valor pode chegar a R$80 para retirar no local. “Chegamos num ponto tão critico, pra mim é a maior crise do gás da história. Estamos no limite, não vamos conseguir segurar mais essa alta. Quem mora em Apucarana ainda tem sorte, pois tem muitos lugares, não tão longes daqui que o gás já está em torno de R$90, R$100. A partir de segunda-feira (9) pode se preparar para o aumento, infelizmente”, ressalta Raphael.
Segundo o revendedor, entre os motivos para mais um aumento estão o dólar e o maior consumo. Ele acredita que até o final deste mês, o gás deve sofrer novo reajuste. “A Petrobras fala sempre em preço do dólar, que aumentou o consumo e nós revendedores vamos sofrendo, tentado de todas as formas sobreviver. Eu acredito que no final no mês, lá pelo dia 26 vamos ter outro aumento, outro reajuste por parte da Petrobras, é desesperador”, finaliza.
Em nota, a Petrobras informou que no acumulado do ano houve um aumento de 16,1% no preço médio do GLP. “As distribuidoras são as responsáveis pelo envase em diferentes tipos de botijão e, junto com as revendas, são responsáveis pelos preços ao consumidor final”, destacou.



Mais Notícias